/ Ação

Carteira recomendada: 3 motivos para você não seguir

A carteira recomendada parece uma ótima maneira de facilitar a sua vida na hora de escolher ações. O problema é que ela esconde alguns perigos que muitos investidores acabam nunca vendo e passam a ter rentabilidades menores do que poderiam.

Não esquece de deixar um comentário no final do texto! Você não imagina o quanto isso me motiva a escrever mais :D

Sempre que me perguntam se eu sigo alguma carteira recomendada, minha resposta é um NÃO e depois eu passo horas explicando o porquê😬😬😬.Esse texto é uma forma de deixar isso tudo escrito.

Uma carteira recomendada por corretora traz consigo uma série de riscos e perigos que eu prefiro evitar. Mas antes de falar disso, precisamos entender porque elas existem.

Porque corretoras tem carteira recomendada?

A verdade é que são poucos investidores que tem convicção em quais ações ele deve investir. Quando você está com uma quantia de dinheiro para investir, sempre vem aquela dúvida: ""qual ação é boa para investir?"

A verdade é que é difícil saber quais ações são boas e quais não são. Muitas pessoas não estão dispostas a fazer isso e acabam ficando numa dúvida tremenda de onde investir.

A corretora, vendo essa situação tem uma ideia brilhante: "Por que eu não faço uma análise e divulgo mensalmente uma lista de ações que são boas para investir?" Parece uma relação saudável: a corretora ajuda o investidor a se decidir e, em troca, recebe uma corretagem quando alguma transação é feita.

É por isso, quase toda corretora tem mais de uma carteira recomendadas:

  • Carteira Principal - focada nas empresas mais consolidadas
  • Carteira Dividendos - focada em empresas boas pagadoras de dividendos
  • Carteira Small caps - focada em empresas menores, com maior potencial de valorização

Perigos da carteira recomendada

Tudo parece fazer sentido, mas existem alguns pontos importantíssimos que não são mencionados pelas corretoras. É aqui que mora o perigo. O investidor que não percebe os 3 pontos a seguir pode acabar perdendo dinheiro e se afastando de sua meta sem nem perceber.

1. Custo de corretagem

A carteira recomendada da corretora é renovada a cada mês. O problema de segui-las é que isso implica em custos que corroem a rentabilidade da própria carteira. A corretora nunca leva em conta esses custos, mostrando uma rentabilidade teórica. Ninguém nunca comenta sobre isso. Custo alto de corretagemNo mundo real, se você seguir as recomendações, sua rentabilidade real vai ser MUITO menor. Quer um exemplo?
Vou fazer o mais simplificado possível só para termos uma ideia.

Vamos assumir:

  • Que você pretende investir R$10 mil em ações
  • O custo de corretagem é R$10 por ordem
  • A carteira recomenda 10 ações
  • A carteira tem uma rotatividade de 3 ações por mês
  • No final do ano, a carteira teve 10% de rentabilidade

Se desconsiderarmos os custos, no final do ano, você tem um lucro de R$1.000.

Agora vamos considerar os custos💸💸💸.

No primeiro mês, você compra 10 ações diferentes, então gasta R$100 (R$10 x 10 ordens).
Depois, nos 11 próximos meses, você vende 3 ações e compra 3 ações, o que totaliza 6 ordens por mês. O custo mensal fica em R$60 (R$10 x 6 ordens).

No final do ano, você gastou R$760 com CORRETAGEM.

Carteira recomendada de corretora - custosLembra dos R$1.000 de lucro que você teria caso não tivesse custos? Então... Na verdade você tem custos, e eles não podem ser desprezados. O que seria uma rentabilidade de 10% passa a ser de apenas 2,4%.

"Custos realmente importam em investimentos. Se os retornos forem 7 ou 8% e você estiver pagando 1% por taxas, isso fará uma enorme diferença em quanto dinheiro você terá na aposentadoria" - Warren Buffett.

2. Conflito de interesses com corretoras

A corretora ganha dinheiro independentemente se as ações subirem ou descerem. Isso acontece porque ela recebe uma corretagem pela operação.

O investidor ganha dinheiro se as ações subirem, mas PERDE dinheiro caso elas desvalorizem. Carteira recomendada de corretora - Conflito de interessesEssa dinâmica cria um conflito de interesses muito ruim para o investidor. A corretora tem incentivos de incentivar o giro da carteira, ou seja, a compra e venda de ativos porque ela ganha dinheiro assim.

"Cuidado com a pessoa que dá conselhos para você fazer algo que é 'bom para você', quando também é bom para ele, sendo que o dano a você não afeta diretamente a ele." -Nassim Nicholas Taleb

3. São gerais demais para o investidor

As carteiras recomendadas são um instrumento massificado de recomendação de compra/venda de ações. O problema disso é que cada pessoa tem seus objetivos na vida, aversões a risco, etc. Carteira recomendada de corretora - muito geralÉ por isso que sempre falamos que o portfólio de investimentos deve ser pessoal e alinhado com as metas do próprio investidor.

Uma pessoa que tem 25 anos e quer maximizar sua rentabilidade, sem ligar muito para o risco deve ter uma carteira. Já um pai de família de 40 anos que quer apenas crescer seu patrimônio sem correr muitos riscos porque tem filhos e uma esposa deve ter uma carteira bem diferente.

No momento que essas duas pessoas montam uma carteira seguindo as recomendações de uma corretora que nem conhece seus objetivos e metas, a chance de dar certo para os dois é zero.

Mas então como montar uma carteira?

Existem três opções muito melhores do que a de seguir a carteira recomendada da corretora:

Monte você mesmo

Se você segue o que todo mundo está fazendo, você está deixando dinheiro na mesa. Uma ótima opção para montar uma carteira é você mesmo analisar as ações e escolher o que faz mais sentido para as suas metas.

Essa tarefa parece ser mais difícil do que realmente é. Uma boa maneira de começar é lendoo texto que eu escrevi falando como funciona a análise fundamentalista.

Casas de pesquisa

As casas de pesquisa independentes têm crescido muito ultimamente. Como elas não fazem dinheiro através de corretagem, mas sim por assinaturas, existe um alinhamento de interesses muito maior com o investidor.

Caso as indicações deles estejam sendo ruins, o cliente vai cancelar a assinatura e eles vão deixar de fazer dinheiro.

Consultores e Assessores

Nessa opção, você consegue ter uma análise e construção de carteira que faz muito mais sentido com as suas metas. Isso acontece porque eles têm uma relação muito mais próxima do investidor do que a corretora.

É como se eles fizessem uma "carteira recomendada" por pessoa.

Gostou do texto? Ficou alguma dúvida? Deixa seu comentário aqui embaixo.
Carteira recomendada: 3 motivos para você não seguir
Share this

Cadastre seu e-mail