/ Fundo

Fundos de investimento: o que são e como funcionam?

Um fundo é um veículo de investimento onde várias pessoas aplicam dinheiro. Esse dinheiro é alocado em ativos estratégicos escolhidos pelo gestor do fundo. O gestor é um profissional com o objetivo de gerar o máximo de dinheiro para os seus clientes.

Por que existem fundos?

Vamos supor que temos um amigo chamado Ênio 👦 que entende muito de investimentos. Digamos que ele consiga rentabilidades de 20% ao ano, enquanto você tem rentabilidade de 10% ao ano.

Não seria uma boa ideia que ele administrasse a sua carteira???

Óbvio que ele não faria isso de graça, então vamos supor que você pagaria 2% ao ano por esse serviço. Ainda assim, parece a coisa certa a se fazer quando olhamos os números:

  • Rentabilidade anual da carteira do Ênio: 20%
  • Rentabilidade anual da sua carteira: 10%
  • Rentabilidade anual da carteira do Ênio, tirando 2% do serviço: 18%

Faz muito mais sentido você deixar que o Ênio 👦 invista por você, porque, mesmo pagando uma taxa, ele consegue fazer 8 pontos percentuais a mais do que você.
Colocando em números, se você investe R$ 5.000 você faz:

  • R$ 500 por ano investindo por conta própria.
  • R$ 900 por ano investindo com o Ênio 👦.

O Fundo de investimento funciona de modo parecido com o nosso exemplo. A diferença é que ele é uma empresa que está de acordo com todas as normas da CVM e Anbima.

Classes de fundo de investimento

Os fundos são categorizados em 4 classes diferentes. A classe do fundo define qual a estratégica dele e também indica qual o modelo de tributação que ele deve seguir.
fundos_classes

Fundos de renda fixa (perfil conservador)

São os fundos que tem pelo menos 80% do seu dinheiro alocado em ativos de renda fixa. O gestor desse tipo de fundo pode aplicar em ativos de maior risco (desde que dentro dos limites do regulamento do fundo).

Exemplo: Santander FIC FI Master Renda Fixa

Quando investir?

São uma boa opção quando se quer baixo risco enquanto consegue uma rentabilidade acima do CDI.

Fundos de ações (perfil moderado a arrojado)

Investem pelo menos 67% de seu patrimônio em ações ou ativos semelhantes (etfs, fundos de ações, ADRs, etc.). Existem diferentes estratégias para fundos de ações. As mais comuns são:

  • Dividendos
  • Setoriais
  • Blue Chips (maiores empresas negociadas na bolsa)
  • Small Caps (empresas com valor de mercado entre US$200 milhões e US$ 2 bilhões)
  • Livre

Exemplo: XP Dividendos Fundo de Investimento de Ações

Quando investir?

São uma boa opção quando você está disposto a correr o risco de investir no mercado de ações em troca de uma rentabilidade maior.
Também valem a pena se você quer investir no mercado de ações, mas não tem tempo para estudar esse mercado.
Geralmente tem prazos de resgate maiores do que os de renda fixa.

Fundos cambiais (perfil moderado a arrojado)

Investem pelo menos 80% de seu patrimônio líquido em ativos que se relacionam diretamente à variação de preço da moeda estrangeira em questão.

Exemplo: BTG Pactual Dólar Fundo de Investimento Cambial

Quando investir?

Quando você quer se proteger de variação cambial.

Vamos supor que você vai para a Disney no ano que vem e quer levar R$5.000 na viagem. Se o dólar se valorizar você perde poder de compra. Para se proteger, você pode investir num fundo cambial de dólar. Assim, o dinheiro investido segue a mesma tendência do dólar e você fica protegido da variação cambial.

Fundos multimercado (perfil arrojado)

Tem políticas de investimento que envolvem vários fatores de risco. Os fundos multimercados podem investir em renda fixa, ações, derivativos, moedas estrangeiras, etc.
São os fundos mais flexíveis quanto a estratégia, o que tornam eles os fundos que conseguem as maiores rentabilidades, geralmente atrelada a maiores riscos.

Exemplo: XP Macro Fundo de Investimento Multimercado

Quando investir?

Quando você quer uma rentabilidade acima do mercado e está disposto a correr riscos. Esses fundos geralmente têm estratégias avançadas de investimento que uma pessoa que não é do meio não conseguiria fazer sozinho.
A liquidez deles costuma ser menor do que a dos outros tipos de fundo.

Onde posso saber mais informações de um fundo?

Todos os fundos têm 3 importantes documentos que detalham melhor a sua atuação, estratégia e histórico. São eles:

Regulamento

É o documento que mostra todas as informações de como o fundo funciona. Algumas informações contidas no regulamento são:

  • Qual a administradora
  • Qual a classe
  • Se o fundo é aberto ou fechado
  • Qual a política de investimento (máximo de alocação em cada ativo)
  • Taxa de administração
  • Taxa de performance
  • Aporte mínimo
  • Prazos e condições de resgate

Prospecto

É um documento que destaca as principais informações que estão contidas no regulamento para o investidor. É interessante que antes de investir num fundo, você leia o prospecto dele e veja se realmente faz sentido com o que você está buscando.

Lâmina

É o documento que traz informações sobre as taxas e despesas do fundo. Além disso, é possível ver a rentabilidade mensal dos últimos 5 anos do fundo na lâmina. As lâminas são disponibilizadas mensalmente até o dia 10 de cada mês.

Como um fundo se valoriza?

Um fundo investe em vários ativos ao mesmo tempo. Seria muito complexo se o investidor tivesse que fazer o balanço de todos os ativos do fundo para saber se ele está indo bem ou mal. Para isso existe uma poderosa ferramenta: a cota.

O fundo se divide em "pedaços" chamados cotas. O processo é similar a uma empresa que se divide em "pedaços" chamados ações.

As cotas de um fundo variam de acordo com os ativos em que o fundo investe. Se o gestor fez boas escolhas e os ativos se valorizaram, as cotas do fundo se valorizam proporcionalmente.

A CVM (Comissão de Valores Mobiliários) recebe, todos os dias, as cotas de todos os fundos do Brasil. O valor dessas cotas pode ser encontrado no site da CVM

É importante saber que os custos do fundo já são descontados diariamente no valor da cota.

Quais são os custos dos fundos?

Os fundos precisam de dinheiro para continuar funcionando. Por isso, eles cobram de duas formas.

Taxa de administração

A taxa de administração é um valor anual expresso na forma de percentual que o fundo cobra para a manutenção das suas atividades.

Ela costuma variar de fundo para fundo, desde 0,5% (até menos em alguns casos) até 4%.

Ele é cobrado em cima do capital que você tem no fundo.

Ou seja, se você tem R$10.000 no fundo, você seria cobrado R$200 por ano para manter esse dinheiro lá.

Como esse seu capital varia diariamente de acordo com a rentabilidade do fundo e se você aplicar mais dinheiro ou resgatar uma quantia, a taxa de administração é deduzida diariamente (num valor diário proporcional à taxa anual).

Taxa de performance (não são todos os fundos que possuem)

A taxa de performance é uma ferramenta para alinhar seus interesses com o do gestor. Ela é um prêmio para quando o fundo render mais do que o benchmark de referência. Ela é sempre cobrada desse percentual que excede o benchmark.

Vamos supor que a taxa de performance de um fundo é 20% e o benchmark de referência é o DI.
Se o DI foi 10% esse ano e o fundo teve uma rentabilidade de 15%, o fundo excedeu o benchmark em 5 pontos percentuais. É desses 5% que a taxa de performance é exercida.

Nesse caso o fundo cobraria 1% de taxa de performance (20% de 5%).
Sendo assim, sua rentabilidade líquida seria de 14% (15% - 1% de taxa de performance).

Apesar de ser um custo a mais, é interessante buscar fundos que possuem esse tipo de taxa. Contraditório né?

Na verdade, não: quanto maior a rentabilidade, mais você paga de taxa de performance, maaaaaas também lucra mais. A imagem abaixo mostra isso um pouco melhor.

fundos_performance-3

No caso do fundo não exceder o benchmark, não há taxa de performance

Como é a tributação de fundos?

Antes de começar esse assunto é importante lembrar:

A tributação é sempre calculada em cima do lucro.

Diferentes fundos são tributados de diferentes formas. Quanto a tributação, existem 3 grupos de fundos:

Fundo de curto prazo

São fundos cujo prazo médio de vencimento dos títulos que compõem a carteira é menor que um ano.

Fundo de longo prazo

São os fundos cujo prazo médio de vencimento dos títulos é maior do que um ano. Nessa aplicação, são praticadas 4 alíquotas seguindo a tabela a seguir.

Fundo de ações

Como as empresas já pagam impostos, os fundos de ações têm uma alíquota menor do que os demais fundos, como pode ser visto na tabela a seguir.

TEMPO APLICADO Fundo de Curto Prazo Fundo de Longo Prazo Fundo de Ações
Menos de 30 dias Imposto de 22,5% + IOF Imposto de 22,5% + IOF Imposto de 15% + IOF
De 30 dias a 6 meses Imposto de 22,5% Imposto de 22,5% Imposto de 15%
De 6 meses a 1 ano Imposto de 20% Imposto de 20% Imposto de 15%
De 1 a dois anos Imposto de 20% Imposto de 17,5% Imposto de 15%
Mais de 2 anos Imposto de 20% Imposto de 15% Imposto de 15%

Para complicar um pouquinho mais, existem duas formas desse imposto ser cobrado: através do famoso "come-cotas" ou no momento do resgate.

Para fundos de renda fixa, cambiais e multimercados (com menos de 67% das aplicações em ações), o método de recolhimento de imposto é o come-cotas.

Para os fundos de ações e os fundos multimercados com mais de 67% de alocação em ações, o recolhimento é no resgate.

Come-cotas

O come-cotas é uma forma encontrada pelo governo para fazer o recolhimento de imposto de alguns fundos. Ele recolhe dinheiro na forma de cotas no dia 31 de maio e 30 de novembro.

Digamos que você tem 1000 cotas no valor de R$ 1 cada (o que dá um montante de R$ 1000) e precisa pagar R$22 em impostos. O come cota resolve isso retirando 22 cotas do seu montante.

A partir desse momento, você terá 978 cotas com o valor de R$1 cada, ou seja, R$ 978 de montante.

Tem mais um detalhe: a alíquota recolhida pelo come-cotas é sempre uma menor do que a atual. A diferença de imposto devido é calculada no momento do resgate e abatida do seu lucro.

Exemplo:

O nosso amigo Ênio 👦 tinha R$1100 (100 cotas) num fundo de renda fixa há 4 meses no dia do come-cotas. Digamos que ele tinha feito R$100 de lucro.

Pela tabela regressiva de imposto de renda, ele deveria pagar 22,5%. O come-cotas cobra a alíquota imediatamente menor: 20%, o que totaliza R$20. (20% x R$ 100)

Como cada cota hoje vale R$1,1 (R$1100/100) o come-cotas recolhe 18,18 cotas (R$20 / R$1,1).

Dessa forma, Ênio 👦 agora tem R$1080 (R$1100 - R$20), com um total de 81,82 cotas (100 - 18,18).

Complexo né? O lado bom é que você não precisa fazer essas contas. No dia 31 de maio e de novembro as suas cotas são deduzidas automaticamente.

Recolhimento no resgate

Aqui o procedimento é muuuito mais simples. No momento do resgate do dinheiro, deduz-se a alíquota ao lucro.

Exemplo:

Ênio 👦 investiu R$1000 ao longo de 3 anos (alíquota de 15%) e teve R$500 de lucro.
O fundo desconta R$ 75 (R$500 x 15%) do montante no momento que Ênio 👦 sacar o dinheiro.

Posso sacar meu dinheiro a qualquer momento?

A verdade é que cada fundo tem uma liquidez diferente. Elas estão dispostas na lâmina do fundo. É ela que diz em quanto tempo você vai receber o seu dinheiro a partir do instante que decidir sacar.
A liquidez é expressa no formato de "D+X", o que significa, o dia que foi solicitado mais X dias.

Se um fundo tem liquidez D+3 e você optar por sacar o dinheiro hoje, você vai recebê-lo daqui a 3 dias úteis.

Os Fundos costumam ter liquidez variando desde D+1 até D+30.

Onde eu encontro os fundos?

As corretoras que possuem fundos em seu portfólio de produtos geralmente expõem todos seus fundos no seu site.

fundo_lista

Escolher um fundo antes de abrir uma conta numa corretora é uma das maneiras de escolher qual a melhor corretora para você. Isso porque não são todas as corretoras que tem o fundo específico que você quer investir. Para saber outras maneiras de escolher a melhor corretora para você, leia o nosso post

É verdade que fundo de banco é ruim?

Esse mito foi criado pelo fato dessas instituições não serem especializadas em investimentos. Geralmente os fundos de gestoras especializadas tem rentabilidades maiores e/ou taxas menores do que fundos de grandes bancos.

É por isso que cada vez mais os investidores têm procurado essas gestoras.

Olha um comparativo de 12 meses de fundos de grandes fundos de renda fixa dos 4 principais bancos e fundos de gestoras. A linha em preto é o CDI.

Fundos_rf

Isso não quer dizer que grandes bancos não tenham bons fundos, apenas que é mais fácil achar bons fundos em gestoras especializadas.

#PraPreguiçosoLer

1 - Fundo é:

Uma forma de ter um gestor profissional cuidando do seu dinheiro na estratégia que você escolheu. Para isso, você paga a ele uma taxa de administração.

2 - Fundos são arriscados?

Depende. Existem 4 tipos de fundo:

  • Renda Fixa
  • Cambial
  • Ações
  • Multimercado

Os fundos de renda fixa são de baixo risco, enquanto os de ações, cambiais e multimercados podem ser mais arriscados (e terem rentabilidades maiores).

3 - Tem como eu perder dinheiro com fundo?

Sim. Quando o gestor do fundo aloca o dinheiro em ativos que se desvalorizam, as cotas do fundo também se desvalorizam e você perde dinheiro. A classe do fundo geralmente define quais tipos de ativos que o gestor pode investir, o que dá uma ideia do quão arriscado o fundo é.

4 - Tem como eu ganhar MUITO dinheiro com fundos?

Sim. Existem fundos que rendem muito dinheiro para os seus cotistas.

O maior exemplo brasileiro é o fundo Verde FIC FIA. Ele rendeu 14.865% desde sua criação em 1997 até maio de 2018.

Outro exemplo é o Versa Long Biased FI Multimercado que fez 638% de junho de 2016 até junho de 2018.

5 - Posso sacar quando quiser?

Cada fundo tem um prazo de resgate. Eles são descritos no regulamento do fundo. Existem fundos em que você consegue reaver seu dinheiro no dia seguinte (D+1) e fundos que demoram mais.

6 - Fundo paga imposto?

Sim, sempre calculado em cima do lucro.

Fundos pagam IOF regressivo para aplicações com menos de 30 dias.

Fundos de curto prazo pagam IR de 22,5% para aplicações com menos de 6 meses e 20% para aplicações mais antigas.

Fundos de longo prazo pagam 22,5% para menos de 6 meses, 20% entre 6 meses e um ano,
17,5% ente 1 ano e um ano e meio e 15% para aplicações com mais de 2 anos.

Fundos de ações pagam 15% de IR.

Espero que você tenha conseguido entender como funciona um fundo de investimentos. Qualquer dúvida, é só deixar um comentário.

fundos_final_peq

Baixe o aplicativo do Real Valor e conheça seus investimentos. De verdade.

banner-blogpost

Fundos de investimento: o que são e como funcionam?
Share this

Cadastre seu e-mail