/ Ação

Como investir em ações americanas daqui do Brasil

Você sabia que é possível investir em ações de empresas internacionais de maneira tão simples quanto investir em ações brasileiras? Veja a seguir algumas formas de diversificar seus investimentos.

Por que investir em ações americanas?

Antes de pensar em investir seu dinheiro em outros países, é válido entender o porquê.

Um dos motivos principais é a diversificação dos investimentos. Concentrar todo o patrimônio em um só tipo de ativo pode ser arriscado, principalmente se tratando de renda variável, como é o caso das ações. Qualquer choque na bolsa brasileira pode impactar o rendimento da sua carteira. Investir no mercado americano pode trazer ao investidor maior estabilidade, além de proteção contra a subida do dólar.

bdr_diversificacao_p-1

Além da diversificação por razões de estabilidade, o mercado americano oferece muito mais possibilidades de setores e empresas, como as ações de tecnologia e entreterimento. Grandes companhias como Twitter, Netflix e Apple (entre outras) são negociadas nas bolsas dos Estados Unidos, mas há maneiras de investir nelas daqui!

Como investir em ações americanas?

A seguir, apresentamos algumas alternativas para quem deseja investir fora, lembrando que todas estão expostas ao risco cambial. Se você estiver com pressa, pode ler nosso resumo no final do post!

Abrir conta numa corretora americana

A maneira mais trabalhosa de investir no mercado americano é abrindo uma conta em uma corretora de lá. Neste caso, o investidor precisa encontrar uma corretora americana (broker) e preparar toda a documentação necessária para a abertura da conta.

Após a abertura, é necessário enviar a remessa do valor desejado para sua conta no exterior para então comprar as ações desejadas - e aqui é que "mora o problema": para valores baixos, as taxas de remessas online e transferências costumam ser bem salgadas, além do IOF de 1,1%.

Além disso, trazer os dividendos de lá pra cá com frequência pode também apresentar um custo elevado, já que sua corretora americana também vai cobrar taxas de transferência.

Por último, fique atento aos custos atrelados à manutenção da sua nova conta: algumas corretoras podem cobrar valores em função da abertura da conta, inatividade, etc.

Com todo esse trabalho, abrir uma conta nos EUA pode não ser a melhor opção para quem está começando a investir

Investir em BDRs

Brazilian Depositary Receipts (BDRs) são ativos negociados na bolsa brasileira equivalentes a ações de empresas estrangeiras. Como assim? De maneira simplificada, temos duas situações:

BDRs Patrocinados

  • Na primeira situação, uma empresa estrangeira decide abrir capital na bolsa brasileira. Ela procura um banco brasileiro que possa emitir BDRs (chamada de instituição depositária). A empresa, então, deposita um lote de ações num banco de custódia americano, que garante que estas ações ficarão guardadas, servindo de lastro para os BDRs emitidos aqui no Brasil - estes são os chamados BDRs patrocinados.
    Quer exemplos de BDRs patrocinados?
  • Banco Santander - BSAN33
  • Dufry - DAGB33
  • GP Investimentos - GPIV33

No site da B3 você consegue ver a lista completa. de BDRs patrocinadas.

BDRs Não Patrocinados

  • Na segunda situação, a empresa não está envolvida na operação. Um banco que deseja vender ações da Apple, por exemplo, compra ações da empresa e as deposita num banco de custódia americano. Ele emite, então, BDRs lastreados nestas ações e os vende na bolsa brasileira. Estes são os BDRs não patrocinados.

A grande vantagem desta operação - para o investidor - é poder investir em ações estrangeiras sem tirar o dinheiro do Brasil: a compra é feita através da B3, em Reais, como qualquer outra ação brasileira, e os dividendos distribuidos também chegam na conta da sua corretora, em Reais!

Quer exemplos de BDRs não patrocinados?

  • Facebook - FBOK34
  • Amazon - AMZO34
  • Netflix - NFLX34
  • Google - GOGL34

No site da B3 você consegue ver a lista completa. de BDRs não patrocinadas.

Mas o que os bancos ganham com isso?

bdr_porque

O banco pode ganhar ao fazer uma operação chamada arbitragem (em outras palavras, comprar uma ação por um preço determinado nos Estados Unidos e "revendê-la" através dos BDRs por um preço ligeiramente mais caro aqui).

Além disso, BDRs não-patrocinados costumam ter uma taxa de administração sobre os dividendos para cobrir os custos de custódia e transferência dos valores dos EUA para o Brasil.

No entanto, grande parte dos BDRs estão restritos a investidores institucionais ou qualificados (aqueles com mais de R$1 milhão investidos). A opção seguinte pode ser uma alternativa interessante para quem gosta da ideia dos BDRs mas não possui este valor aplicado.

Fundos de Investimento

Através de fundos de investimento, também é possível investir em ações estrangeiras de maneira simples. A grande vantagem deste método é que existem opções com restrições muito menores.

Para quem está interessado em investir em ações americanas, existem alternativas como fundos de investimento em ações no exterior, que colocam o dinheiro do cotista em ações nas bolsas mundo afora, cuidando de todo o trabalho necessário.

Nesta situação, além de tomar cuidado com as taxas cobradas, lembre-se de olhar para a composição do fundo: o quanto do patrimônio é investido em ações lá fora, quais os principais segmentos, etc.

De maneira semelhante, há fundos de investimento em ações que investem nos BDRs, explicados ali em cima.

Além disso, existem Exchange Traded Funds (ETFs) referenciados no S&P 500, um índice da bolsa americana semelhante ao Ibovespa. ETFs são fundos de gestão passiva - ou seja, os gestores não escolhem a carteira de acordo com projeções, mas sim com as regras definidas pelo fundo. Além disso, são negociados em bolsa, assim como ações, facilitando a compra e venda das suas cotas.

Desta forma, os ETFs de S&P 500 tem seu patrimônio investido nas ações que compõem esse indicador, nos Estados Unidos.

Dois exemplos desses ETFs são o BBSD11 e o SPXI11.

Qual eu devo escolher?

Com as opções acima, você deve estar se perguntando qual delas é a mais indicada no seu caso. Uma boa maneira de dar uma "peneirada" inicial é verificar as qualificações exigidas pela B3 para investir nos BDRs e fundos, além de consultar as taxas de remessas de valores para o exterior.

Dessa forma, você já sabe quais você não pode escolher e se mandar dinheiro para fora (e de volta) valem ou não a pena. Depois dessa primeira análise, fica mais fácil de determinar o investimento adequado para seu perfil!

Além disso, lembre-se que ao investir em BDRs ou ações específicas, a diversificação é menor e o risco aumenta, podendo não ser a melhor opção para investidores iniciantes.

#PraPreguiçosoLer

1 - Por que investir em ações lá fora?

É simples: diversificar seu patrimônio! Além de ter mais opções de empresas, o mercado americano é mais "seguro", e você pode estar protegido contra uma subida do dólar.

2 - Quais as opções?

  • Abrir uma conta em corretora americana, mandar o dinheiro para lá e comprar ações diretamente nas bolsas americanas.
  • Investir em BDRs, que são equivalentes a ações americanas negociados na bolsa brasileira
  • Fundos de investimento que apliquem o patrimônio em ações americanas ou BDRs, além dos ETFs referenciados no S&P500, um índice das bolsas dos EUA.

3 - Qual é a melhor pra mim?

Tudo depende muito, mas o ideal é que você se informe sobre as restrições e custos de cada uma das opções - comece analisando se você pode ou deve investir em cada uma das alternativas acima.

E ai, alguma das opções parece mais atraente para você? Restou alguma dúvida? Mande sua pergunta pra gente nos comentários!

Como investir em ações americanas daqui do Brasil
Share this

Cadastre seu e-mail