/ Dicas

Balanceamento de Carteira: o que é e como aplicar?

Tá pensando em ampliar sua carteira e aplicar em um novo investimento? Caaalma lá! Dá uma olhada nesse post que saindo daqui você vai saber exatamente onde e como aplicar seu dinheiro, deixando sua carteira ainda mais rentável e segura.
Conheça a arte do balanceamento.
Mas que diacho é isso?
Vamo lá, vou te explicar e você vai ver que é bem simples de entender.

O que é balanceamento de carteira

Balanceamento nada mais é do que o equilíbrio dos seus investimentos. É a forma como os seus ativos estão distribuídos (seja em relação a risco ou a qualquer tipo de categorização).

Por exemplo, se você tem metade do seu patrimônio investido em títulos do Tesouro e a outra metade em ações, podemos dizer que você possui um balanceamento de 50%/50%. Isso é, 50% em renda fixa e 50% em renda variável. Mas essa é somente uma das formas de balanceamento, aguenta aí que em breve vou te contar outras.

O Balanceamento é fundamental para qualquer investidor. É ele que te mostra quão exposto ao risco você está

Eu tenho um amigo, o Lucas 👱🏻, que alguns anos atrás tinha praticamente todos seus investimentos em ações que se valorizavam com a alta do dólar. O que ele não esperava era que o dólar cairia quase 20%. Ele se lascou, porque o seu patrimônio era altamente dependente de uma única variável.
Foi assim que ele aprendeu a balancear sua carteira. Até onde sei, ele nunca mais teve um prejuízo desses desde então.

O certo seria se o Lucas 👱🏻 tivesse ido atrás antes e pesquisado o conceito de balanceamento de carteira. Ele com certeza perceberia que o mais indicado seria colocar parte do seu patrimônio em algo que e valoriza quando o dólar estiver desvalorizando. Assim ele ficaria "blindado" e não teria perdido tanta grana.

Como fazer o balanceamento da minha carteira?

Existem inúmeras formas de você balancear sua carteira, desde mais métodos mais simples até alguns bem avançados. Você pode, por exemplo, balancear pensando em uma proporção entre renda fixa e renda variável ou entre ações de diferentes setores.

Mas qual o melhor balanceamento então?

Não existe certo e errado. O balanceamento ideal para você vai depender basicamente:

  1. do seu perfil de investidor;
  2. do seu momento de vida;
  3. dos seus objetivos com seus investimentos;
  4. do montante que possui para investir

Pode parecer complicado mas juro que não é. E você, definitivamente, deve ter alguma estratégia antes de escolher em qual ativo vai aplicar. E uma boa notícia: uma vez definido seu balanceamento ideal, fica muito mais fácil decidir na hora de escolher seu próximo investimento.
Quer uma ajuda para decidir? Abaixo têm algumas das formas mais famosas de se balancear a carteira de Investimentos:

1. Proporção Renda fixa x Renda Variável:

Essa estratégia foca em te deixar o menos exposto à risco possível. Mantendo 80% do seu patrimônio em Renda fixa e 20% em variável. Assim grande parte dos seus investimentos ficam menos exposto a risco.

Essa linha de pensamento é muito comum pois se baseia no fato de que se você perder ou tiver algum prejuízo muito significativo com a renda variável, sua vida não será afetada de forma desastrosa, visto que grande parte do seu patrimônio está em ativos de menos risco (renda fixa).

Vale lembrar que esse percentual (80% 20%) pode variar de acordo com seu perfil de investidor. Se você é conservador, moderado ou arrojado (esses nomes se referem ao quanto de risco você está disposto a tomar, sendo conservador o que menos "gosta" de risco e moderado o exato oposto). Existem algumas indicações percentuais já prontas para você alocar seu dinheiro:

  • Conservador: 80%/20% (RF/RV);
  • Moderado 60/40 (RF/RV);
  • Arrojado 40/60 (RF/RV).

Algumas outras recomendações comuns são 90/10 ou 95/5. Mas só em caso de ativos extremamente voláteis, como bitcoins, por exemplo. Você deve querer reduzir a não mais que 5% sua exposição a ativos de alto risco.

Um exemplo mais claro é o de opções. Dependendo da sua estratégia, existe uma chance significativa (em alguns casos,inclusive, tem mais chance de isso acontecer do que o contrário) de o valor que você investiu naquela opção ir a zero.

como-equilibrar-minha-carteira-de-investimentos

Em uma estratégia como essa, você deve ter um percentual baixíssimo do seu património nesses ativos. Como a chance de você perder tudo é grande, o ideal é investir um valor que não vai afetar de forma alguma sua vida. Nesses cenários, há quem recomende investir menos de 1% do patrimônio.
Se você quiser saber mais sobre opções e como funciona essa estratégia, pode me mandar um e-mail ([email protected]) que preparo pra você

Regra dos 80:

A Regra dos 80 foi cunhada por Gustavo Cerbasi, um dos maiores especialistas em finanças pessoais do Brasil. A regra basicamente diz que você deve alocar 80 - a sua idade em renda fixa e o restante em renda variável.

Assim, ó:

Se você tiver 30 anos deve investir 50% do seu dinheiro em renda fixa (80-30=50) e 50% (o que sobrou) em renda variável.

O principal pilar dessa tese é que você pode se expor mais a risco no início da sua vida como investidor. Por - provavelmente - ter menos compromissos financeiros e ainda não ter um montante que seja significativo para que os rendimentos da Renda Fixa tenham um grande impacto nos seus gastos diários;

Outras teses de balanceamento:

Balanceamento pode ser aplicado a diversas formas de investir, então pode se referir também a outras categorias que não são renda fixa e renda variável. Pode ser, por exemplo, ações de um setor específico que você tem em seu portfólio.

Por exemplo, no Brasil hoje, muitas ações do setor de celulose variam positivamente quando o dólar se valoriza. Ações de empresas como Suzano(SUZB3) e Fibria(FIBR3) variam junto ao dólar, por terem grande exposição à volatilidade cambial. Sendo assim, você também pode fazer um balanceamento mais avançado, aliando ações que se valorizam com a queda do dólar e ações que reagem da maneira contrária.
E então, quando a moeda americana variar, somente parte de suas ações vão reagir negativamente, enquanto a outra parte provavelmente estará subindo.

Já decidi qual meu balanceamento ideal! E agora?

Agora tudo fica mais fácil. O que você precisa agora é analisar como seus investimentos estão distribuídos após um tempo. Afinal de contas, investimentos variam (mas acho que você já sabia disso quando começou a ler esse post).

O que isso quer dizer é que após algum tempo, o balanceamento que você fez pode ter se perdido. Por exemplo, se a sua parcela de renda variável teve um grande salto, ela agora, muito provavelmente, representa um percentual maior na sua carteira do que ocupava há 6 meses atrás. Então, seu próximo investimento deve ser pensado de forma a retomar o equilíbrio que você definiu para sua carreira carteira.

Se quiser um exemplo prático, dá uma olhada no caso a seguir:
Pensa que o Lucas 👱🏻 (meu amigo, lembra?) tivesse R$10.000,00 investido e usou a proporção 80/20 há 1 ano. Ele teria R$8.000,00 em Renda Fixa e R$2.000,00 em Variável.
Hoje, após um ano de grande alta da bolsa, ele olha para sua carteira e vê um balanceamento de 65/35 e total de R$12.000,00 (logo, 7,8mil em RF e 4,2mil em RV).

Nesse caso, o Lucas 👱🏻 deveria fazer 2 coisas:

1- Rebalancear:

Ou seja, calcular quanto deve investir em renda fixa e renda variável para que isso volte a ser uma proporção de 80/20
Nesse caso seria:

Renda Fixa: R$12 mil x 80% = R$9.600,00
Renda Variável: R$12mil x 20% = R$2.400,00

Logo, você precisa investir mais 1,8mil em RF e sacar 1,8mil da sua RV.

2- Distribuir

Ele poderia tanto retirar parte do dinheiro que está em renda variável e reinvestir em renda fixa quanto investir novos valores, de forma a retomar a proporção.

como-rebalancear-minha-carteira-de-investimentos

Por exemplo, se você tem mais R$18.000,00 para investir agora, seu patrimônio investido total será 30mil, certo?
Pelo seu balanceamento 80/20, deve ficar R$24.000,00 em Renda Fixa e R$6.000,00 em Renda Variável.
O certo então seria investir mais R$1.800,00 em Variável e mais R$16.200,00 em Fixa.

Como atualizar balanceamento da minha carteira

Ah, mas eu não posso mudar meu balanceamento?

É claro que pode (e deve!). Os seus investimentos devem refletir seus objetivos de vida, o que você quer tanto para você quanto para sua família. Sendo assim, muito provavelmente o balanceamento ideal para uma pessoa de 30 anos não necessariamente é o mesmo para uma pessoa de 50 anos, seja por causa do momento de vida, seja pelo montante que ele está investindo ou por qualquer outra razão.

O balanceamento da "Regra dos 80" tenta se adaptar às mudanças decorrentes da idade mas você também pode utilizá-lo somente durante um período da sua vida e depois mudar para outra estratégia para ficar mais fácil.
Pensa assim: sempre que sua vida mudar de forma significativa (se foi contratado no primeiro emprego, se foi demitido, se teve um filho, se casou, etc) sua vida financeira também deve ser afetada.

Você deve pensar qual a melhor forma de investir seu dinheiro nesse novo momento.

Outra mensagem importante é: nenhuma dessas ações, por si só, deve fazer você necessariamente parar de investir. Ás vezes, é só uma questão de rebalancear a sua carteira, de mudar a sua tese de balanceamento, para que você se ajuste ao nível de risco que quer tomar agora ou à quantidade de dinheiro que precisa.
O importante é se ajustar e ficar tranquilo para seguir com a nova fase da sua vida.

E tem mais: existem ainda outras inúmeras formas de balanceamento.

O balanceamento também pode ser avaliado em relação à liquidez: se você tem todos os seus ativos um fundo cuja liquidez é D+30(isso é, que você só pode sacar seu dinheiro 30 dias depois de pedir por ele), você pode se botar numa situação em que não tem dinheiro numa emergência. Por isso é importante balancear também a liquidez do patrimônio: ter parte dos seus ativos com liquidez diária - que te dão maior flexibilidade quando precisar sacar rapidamente- e outra parte em ativos com uma "menor liquidez" (que levam mais tempo para resgatar) - que geralmente te dão uma rentabilidade maior.
Outro caso é o balanceamento de indexadores: se você tiver todos os seus investimentos atrelados, por exemplo, ao CDI, um corte da taxa de juros - a SELIC- ,que também derruba o CDI, faz com que toda a sua carteira passe a render menos. Se você tiver um bom balanceamento, provavelmente equilibraria alguns ativos atrelados ao CDI e outros ativos prefixados (que se valorizam com a queda do CDI/SELIC). E assim, qualquer que seja a mudança no mercado, ela só vai afetar negativamente parte dos seus investimentos, enquanto outra parte vai se valorizar.

#PraPreguiçosoLer

O que é balanceamento

Balanceamento é não botar todos os ovos na mesma sexta. É diversificar seus investimentos com consciência para que não fique tão sujeito a quedas/mudanças no mercado.

Como balancear minha carteira?

Existem algumas estratégias bem comuns. Pra decidir a melhor pra você, considere principalmente seu perfil investidor e momento de vida.

Balanceei, acabou?

Não! Seus ativos vão variar com o tempo, logo, você vai precisar fazer um rebalanceamento constante.

Pode parecer trabalhoso, mas não é tudo isso não! Te garanto que vai ser muito melhor pra sua vida como investidor.

Baixe o aplicativo do Real Valor e conheça seus investimentos. De verdade.

banner-blogpost

Balanceamento de Carteira: o que é e como aplicar?
Share this

Cadastre seu e-mail